× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Calo ou Falo
Este corte,/ A boca, /Meu melhor açoite;/Sangra palavras!
Textos
Permitam-me falar ao ilustre professor de Português Evanildo Bechara e aos lexicógrafos que o acompanham.
Pesquisas minhas sobre a palavra “’baratéia” levaram-me ao sítio da Academia Brasileira de Letras onde um artigo, datado no Jornal “O Dia” em 27 de março de 2011, fora reproduzido ali e recebera a vossa assinatura.
Como Suboficial aposentado da Aeronáutica e usuário por trinta anos de uniformes com esta fibra, venho espantar-me com os achados que ultrapassam aquele vosso público artigo. A surpresa é a mesma da maioria de meus pares por termos baratéia como uma tonalidade, um matiz de azul. Aquele oficiais consultados anteriormente talvez saibam bem mais sobre um padrão de busca em pente ou um quadrado crescente. Ou o trançado das fibras de carbono de uma superfície de comando de um jato moderno. Entelagem, todavia, é matéria de prova bem antiga de mantenedores aeronáuticos, carece de atualização com os equipamentos atuais, e somente e ainda nos currículos da Aviação Civil.

O termo “Barathea” em inglês, associado a “fabric” ou “weave" irão nos conduzir a processos de tecelagem e a identificação de um tipo de trançado dos fios com o ondeamento em diagonal. 
De acordo com os documentos históricos, Barathea apareceu pela primeira vez na Inglaterra em meados do século 14. Durante esse tempo, o tecido era comumente usado para fazer roupas que eram usadas em luto. Coincidência ou não era época da Peste Negra pela Europa. A razão para isso é que os fios utilizados pela baratéia costumavam ser vistos em cores sólidas e monótonas, particularmente aquelas da sombra preta, azul e marrom. A baratéia de tecelagem em mais de uma cor só veio depois, quando as escolhas de um tecido mais versátil foram necessárias com o crescimento da indústria da moda.
O livro sagrado dos muçulmanos, O Alcorão, diz em duas de suas suras que Allah ensinou a David a fazer as cotas de malha de aço para proteger o combatente do gume dos inimigos. Já o The Complete Costume Dictionary define o pano Barathea e o assemelha por  suas características com o tecido de malha de aço. (chain armour).
O Dicionário explicativo de termos têxteis, em francês, refere-se à origem inglesa do termo (barathea) que vem a significar armadura usada, "armure usée" (worn armour). 

The Fairchild Books Dictionary of Textiles descreve as características do termo em inglês e apresenta "barras" e "barratee" conectadas, supondo uma provável origem etmológica para chegarmos até nossa palavra em português, " baratéia". (?)

Bem mais recente, uma publicação de especificação militar americana normatiza, apresenta todos os detalhes suficientes de interesse à esta classe de técnicos. Pode ser encontrada encadernada  no documento MIL-C-3727F, MILITARY SPECIFICATION: CLOTH, BARATHEA, WOOL (18 DEC 1987). Nesta mesma edição estampa-se um desenho com a representação das Ondas do Tecido Baratéia. (Acima)


Baratéia logo pode ser azul, preto, marron... e sugiro vir antes da cor. Exemplo
Baratéia Azul. Dentre os azuis marinho ou celeste, outro azul  registardo nos manuais aeronáuticos é o oxford.
O cinza naval, o verde-oliva tem maiores referências dentro da paleta de cores.

Recordando a palavra caqui (português europeu) ou cáqui (português brasileiro) deriva do persa khak que significa pó, e khaki que significa poeirento, empoeirado ou cor de terra. É utilizada por vários exércitos do mundo para efeitos de camuflagem. A farda que minha mãe lavava, de meu pai era cáqui.

Imbrincados neste tecido, texto, têxtil podemos perceber, evoluir para as nobres missões resguardadas para este tipo de tecido: revestir aqueles de mesmo quilate em realeza; proteger o guerreiro e prestar homenagens àqueles que tombaram na batalha. O combatente não retira sua armadura, pois a guerra não dá trégua, e honrar é também não descuidar dos que se foram, relembrar deles as lições de  coragem.

Por prazer que o tema trouxe-me, “Baratéia Rigor” batiza com título o poema que assino abaixo:
 


BARATÉIA RIGOR

O corpo humano:
Tudo que está entre o chapéu, lenço, véu
E as solas dos sapatos, da palmilhas das sandálias;
Dentro das luvas, sob os chales,

Casacos, corpetes, coletes, camisas;
Calças, pantalonas, saias, vestidos,
Qualquer abrigo, lã, seda, linho...

Chama-se corpo!

Contorno da pele, moda do pano.
Faz parte do molde os pelos!
A tatuagem faz arte!

Se a descoberto, vento eleva o pensamento ao céu
Como as sementes da paineira,
Matrizes!

Se descalços, fluido decanta o mel,
Voltamos à origem, ao passado,
Raízes!

Sem meias, se nús, não somos mais corpo,
Pele, casca, odores, arrepios, desejos, miragens, vertigens!

- Súditos! Sudários! Espiritos!


*****************************************************
BIBLIOGRAFIA

- Academia Brasileira de Letras -  Jornal “O Dia”, Rio de Janeiro, em 27 de março de 2011 ( http://www.academia.org.br/artigos/azul-barateia )

Revista Piauí - EDIÇÃO 57 | JUNHO 2011
Questões Vernáculas SENHOR NORMA CULTA 
Clara Becker
( http://piaui.folha.uol.com.br/materia/senhor-norma-culta/ )

- Portaria Nº750/GC6, de 15 de agosto de 2003, do Comando da Aeronáutica
DOU de 18/08/2003 (nº 158, Seção 1, pág. 18)
Altera o Regulamento de Uniformes para os Militares da Aeronáutica.

- The Fairchild Books Dictionary of Textiles
Phyllis G. Tortora, Ingrid Johnson
A&C Black, 17 de set de 2013 - 8th Edição-  páginas 44,46.
( https://books.google.com.br/books/about/Fairchild_s_dictionary_of_textiles.html )

Dictionnaire Explicatif de Termes Textiles
( http://www.texsite.info )


The Complete Costume Dictionary
Por Elizabeth J. Lewandowski
Scarecrow Press, Inc Toronto 2011
Página 23

The "Mercury" Dictionary Of Textiles Terms
Cecil Woodham-Smith 
Published By Textile Mercury Limited Manchester -1959
( http://lenoeudpapillon.blogspot.com.br/2013/07/the-mercury-dictionary-of-textiles.html )


 DEPARTMENT OF DEFENSE
MIL-C-3727F, MILITARY SPECIFICATION: CLOTH, BARATHEA, WOOL (18 DEC 1987)

O ALCORÃO SAGRADO
Otto Pierre Editores - Rio de Janeiro -1980
Sura 21:80 ; Página 236 ;
Sura 34:10-11 ; Página 312.

 
Luís Carlos Oliveira Aseokaynha
Enviado por Luís Carlos Oliveira Aseokaynha em 05/03/2018
Alterado em 10/03/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários