× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Calo ou Falo
Este corte,/ A boca, /Meu melhor açoite;/Sangra palavras!
Textos
GROTTA DEL CANE

O Império não aboliu,
A República não proclamou;
O tagante, a palmatória, o bacalhau,
O calabrote, a golilha, o vergalho, a cal.

- Fecha a cela, carcereiro!!

João tomou,
Cândido impeliu,
Felisberto lavrou o termo.

- Acenda o fogo, seu foguista!

Se voz ou letra
Sua falangeta apontou, candeeiro
De talha ao lais,
Talha ao lioz

- Alinha a pedra, artesão!

Esculpiu a nova hierarquia das raças;
Das vascas da morte escapuliu por um triz.

- Toca o sino, capelão!

Lapa dos Mercadores, missa,
Todos a bombordo, todas a boreste
A bala lambendo as salivas.

- Levanta a vela, sacristão!

Lá vai João, gajeiro,
Volta João de timoneiro;
Empunha na destra uma caneta,
A canhestra um livro.
..e a távola das marés.

- Incenso na nave central!

Escoltado pelos marechais de campo,
De remo, da vela, do vapor...
Azeita os puxavantes e
O eixo para não fazer carvão.

- Baixar âncora, batelão!

Catacumbas das Cobras,
Catacumbas do Caju,
Grotta del Cane;
Ver se abalam as cortinas

- Arpoa! Arpoa!

...das janelas na volta dos marinheiros,
Entraram em formação!
Procissão: toca o sino, capitão!
Ecos das harpas do coração!

- Na proa do Corcovado!

No passadiço do encouraçado vai Santo Antônio
Conselheiro com seu cajado, madraga,
Patrono dos Favelados!

- Chegada da rendição! Vivação, Sebastião!
Luís Aseokaynha
Enviado por Luís Aseokaynha em 15/08/2021
Alterado em 15/08/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários