Calo ou Falo
Este corte,/ A boca, /Meu melhor açoite;/Sangra palavras!
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

FIGA
Este corpo é meu amuleto
Sou como pedra apenas
Não me arremesso
Como penas ao ar.

Sou pedregulho
Esta pele eu enfeito;
Aramada no dedo,
Amarrada, seixo,
Enforcada no peito,
Trespassada na cartilagem,
Incrustada no osso,
Decote do seio.

Não trepeça, sou peça.
Visto os que se despem
Para amar e para pecar.
Não tropece em mim
Se entorpeço se a sua luz
Decanta em mim.

Fiel ao céu
Vou ao fundo do mar
Com esta efígie,
Âncora que um dia irá flutuar.
Luís Carlos Oliveira Aseokaynha
Enviado por Luís Carlos Oliveira Aseokaynha em 16/07/2017
Alterado em 16/07/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários