Calo ou Falo
Este corte,/ A boca, /Meu melhor açoite;/Sangra palavras!
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

CASA DOS CONTOS (REVISÃO)

Vamos plastificar as boas palavras,
Para no uso das iluminuras
Não desbotar a poesia:
Monocultora da mestria.

Na  “Casa dos Contos” rever, à cinética,
Sem amarras de pedra,
Arte cervantina.
Hildália vai conosco!

Agonicas talvez, ágonas, não!
De bordadura caligráfica;
Pelos coetâneos caetanos

instalaremos o mandarinato;
Frente ao  rio, ante ao mar,
No istmo da serotonina.

ORIGINAL 10/10/2001 (REVISÃO.2016)
Luís Carlos Oliveira Aseokaynha
Enviado por Luís Carlos Oliveira Aseokaynha em 18/02/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários